Blog do site VIVACOMLINFEDEMA.com

Linfedema no inverno

PhotobucketOi gente!

Faz um bom tempo que não redijo minhas experiências, não é mesmo? As coisas pra mim agora andam mais lentas, pois meu edema parece estar chegando ao ponto máximo de redução… não sei se conseguirei reduzir mais. Confesso que tenho esperança, mas é inegável que agora os resultados são mais lentos, e exigem muito mais da gente.

Bem, escolhi um tema que ainda não escrevi, que são os cuidados durante o inverno. Na verdade não tem muita diferença com relação ao resto do ano, aliás, essa é a melhor época para o linfedema! O tempo frio por si só já ajuda muito a reduzir o edema, pois os vasos diminuem de calibre a ajudam o retorno da linfa.

Adoro o inverno! Adoro o frio! Como minha perninha fica feliz! O tornozelo fica uma graça! A batata diminui e a coxa mais molinha! Uma beleza! Acho que nunca esperei tanto pelo outono/inverno como esse ano! Que coisa absurda esse 2010!!!!! Calor de 46° no Rio! Bh fervendo aos 40º (essa terra era tãaaaaaaao fresquinha há poucos anos …)! Loucura geral!

Bem, vamos ao que interessa! Vamos recaptular quais os cuidados que devemos ter com nossas pernas e braços!

#1: Drenagem linfática manual! Se possível, complemento com a drenagem pneumática (angiotron ou lymphapress com 3 câmaras ou mais).

ATENÇÃO: a pessoa deve ser avaliada pelo médico antes, pois existem contra-indicações (ler o tópico que fala disso aqui no blog). A drenagem pneumática também deve ser orientada pelo médico ( a pressão nunca deve superar 40mmHg) .

#2: Enfaixamento do membro. Após a drenagem, é necessário enfaixar o membro para manter a circunferência. A pressão do enfaixamento também ajuda a manter a linfa circulando. Por isso quando desenfaixamos a perna costuma estar mais molinha. Perna molinha é sinal de circulação, e isso ajuda a evitar infecções (gente, isso de evitar infecção eu que concluí! não tenho base científica pra afirmar! hehe… mas faz sentido, não? um edema duro é linfa parada! linfa parada e resíduo estagnado! ).

#3: uso de meias! Meias de alta compressão são ótimas para ajudar a manter o que se conseguiu com a drenagem + enfaixamento. Mas é preciso avaliar com o médico a mais indicada para seu caso. E dependendo do caso, como o meu, as meias são apenas pra você ficar feliz alguns dias (pois se eu usar apenas meia, minha perna volta a inchar), e lembrar que debaixo daquela “múmia” há uma perna. Normalmente isso ocorre nos fins de semana, quando quero usar roupas mais bonitas … rs.

#4: Banhos mornos e rápidos. No friozinho é gostoso aquele banho pelando, não é mesmo? Mas, infelizmente, não podemos abusar das altas temperaturas. A não ser que você não se importe em pôr os outros 3 tópicos acima por água abaixo LITERALMENTE. Banhos menos quentes e mais rápidos são mais indicados. Repare que se você tomar banho pelando sua perna ou braço irá inchar na hora e ficar vermelho! Isso porque o calor vai dilatar os vasos e fazer aquele processo que já vivemos no verão.

#5: Enxugue bem suas dobrinhas! Enxugue bem entre os dedos, nos cantos, virilha… não deixe nada úmido para não favorecer fungos e infecções.

#6: HIDRATAÇÃO!!!! Essa é a grande dica do inverno!!!! Beber muuuuuuuuita água, claro! Isso sempre. Mas no inverno, o ar fica mais seco e a pele costuma rachar. Por isso o HIDRATANTE é  fundamental!!!!!!!!! Passe bastante! Mais de uma vez ao dia se for necessário. Aproveite para fazer aquela massagem, sempre do pé pra barriga(circular entre o umbigo, na direção do ponteiro do relógio), começando pela ativação dos gânglios do pescoço, depois axilas, abdome, e depois o lado que você tiver gânglios. Daí você começa da coxa em direção à barriga, bem suave. Depois você traz a linfa da perna, do pé… sempre de baixo pra cima. Tá aí a drenagem caseira!!!! Isso não substitui a drenagem da fisioterapeuta, mas ajuda quando estiver viajando, ou apenas como complemento do tratamento!

Os melhores hidratantes são os que contém uréia. Veja na composição se existe esse componente. Se não tiver, os cremes que tiverem em sua composição o óleo de amêndoa e macadâmia também dão bom resultado.

Já que o assunto é pele, não sei se vocês sofrem desse problema, mas eu sofro. Trata-se de ressecamento e irritação na virilha por causa do enfaixamento ( que termina nessa região) e o uso de meia. Já falei mil vezes que amo a meia da MEDIVEN pois ela não tem costura na virilha. Isso me ajuda muito, pois agride muito menos que as outras. Certamente se eu não tivesse descoberto essa marca logo, hoje eu estaria com uma ferida crônica na virilha. Pois bem. Mesmo usando essa meia sensacional, a região fica sensível e pode haver feridas. Uma dica que dou para quem tem o mesmo problema, é passar BEPANTOL na região. Já experimentei Hipoglós, mas o  Bepantol é mais oleosinho, mais fácil de espalhar e hidrata e recupera a pele de forma excepcional.

Para quem sofre com outras feridas de difícil recuperação, óleo de girassol é uma opção super barata e de excelente resultado! Ele regenera a pele.

Bem, essas foram as dicas da temporada!

Espero que tenham sido úteis.

Beijos para todos!

E até a próxima!

Photobucket

27 Responses to Linfedema no inverno

  • Tatiana Barreto says:

    Adorei o texto, pois tenho linfedema e me encontrei nas suas palavras!
    Achava que eu uma das poucas pessoas que sofria com essa doença.Estou pesquisando mais e cheguei a conclusão que são muitas pessoas.
    Tenho linfedema desde dos sete anos eu era inconformada, pois não tinha ninguém da minha idade com linfedema, hoje estou com trinta anos e superei e aprendi a conviver com ela!

  • Oi Tatiana!

    Sempre bom encontrar pessoas que passam pelo que passamos e, principalmente saber que essas pessoas levam suas vidas de forma bem próxima de uma vida normal.
    Não é fácil conviver com linfedema, mas o que temos hoje são apenas essas condutas que, juntas, dão um resultado satisfatório. Mas a luta é intensa. Não se pode falhar em nenhum ponto, caso contrário temos nossa saúde prejudicada.
    Haja paciência, persistência, disciplina e otimismo!!!!
    Mas seguimos em frente!
    Grande abraço!

  • Leciane Souza says:

    …Olá, adorei a materia. E eu tbm amo o inverno ( minhas pernas ficam bem molinhas. rsrsrs… ).
    Me add…
    Aiiii eu não gosto de usar meia, o que faço ???
    Boa noite….

  • Aira says:

    Creo que has escrito un artículo,como siempre, muy bueno,Fernanda y estoy de acuerdo en “casi” todo.Digo “casi” porque no estoy de acuerdo en lo de utilizar la compresión neumatica.Esos aparatos sólo desplazan el componente líquido del edema y por lo tanto podrían estar más indicados en edemas de origen venoso,pero el linfedema es especialmente rico en otras substancias de alto peso molecular que la presoterapia no mueve y al quitarles líquido poco a poco esa masa se hace más compacta.Puede de esta forma producir mayor fibrosis.
    Hay que tener MUUUUUUUCHO cuidado con lo de utilizar Presoterapia ya que en linfedema de miembros inferiores puede provocar edema en genitales y abdomen y en linfedema de miembro superior puede llevar el edema hacia axila,mama o tronco.
    He tenido laaaaarga experiencia con la compresión neumática (Lymphapress de 12 cámaras) y se bien de lo que hablo,ya que mi costado comenzó a hincharse más.También he descubierto que las infecciones (Linfangitis y Erisipelas) muy numerosas y fuertes que tenía muuuuuchas veces,desaparecieron al dejar de utilizar la Presoterapia.
    Creo que no es aconsejable la compresión neumática en edemas de origen linfático.Tal vez si está más indicado en edemas venosos o postraumáticos.
    Si un DLM está bien hecho,pienso que no es necesaria la Presoterapia.En todo caso,si alguien decide utilizarla y su médico así se lo indica,ABSOLUTAMENTE SIEMPRE deberá de ser aplicada en combinación con el DLM,preparando las vías de drenaje previamente de forma manual y finalizando con DLM+vendaje.El Autodrenaje sería insuficiente. La presión debería de ser baja (20-30) ya que puede romper pequeños vasos/capilares superficiales y la duración de la sesión de presoterapia corta (15-20 minutos). Aún en estas condiciones,sigo opinando
    que lo mejor es NO utilizar la Presoterapia (Compresión Neumática)

    Grande abraço!

  • liliam says:

    Oi, estou encontrando seu blog agora. Tenho linfedema no MID e estou cogitando ir a clinica do Dr. Godoy em Sao Jose do Rio Preto fazer um tratamento intensivo por 1 semana, porque moro em Vitoria/ES e por aqui ainda nao encontrei profissionais que conhecam a doenca. Queria saber a opiniao de quem ja esteve la. Se conhecer alguem, por favor me fala.
    Preciso encontrar alguma dessas condutas que surtam algum efeito para alcancar o otimismo, rs.

  • Oi Lilian!

    Parece que ele ensina os procedimentos que a pessoa deve ter em casa, enfaixamento… parece ser interessante pro seu caso, ja que nao tem nenhum especialista perto de você. mas nao conheço a clinica nao, estou falando com baso no que ja me disseram.

    mas acho que deve valer a pena!

    boa sorte!

  • Aira,

    eu tenho tido boa experiencia com o limphapress. Aliado à drenagem manual eu tenho tido resultados incriveis. Acredito que a maquina nao substitui a manual, porem ela dá acabamento ao trabalho do fisioterapeuta. Meu tornozelo por exemplo so existe hoje porque a bomba ajuda a drenar.
    eu defendo o uso e sempre defenderei enquanto eu perceber bons resultados, pois estou vivendo uma época maravilhosa graças a essa tecnologia.

    mas cada caso é um caso. Veja por exemplo que as técnicas de cirurgia só vem dando resultado decente para pessoas com linfedema secundário. As pessoas com linfedema primário estão na desvantagem. De repente o que serve pra um nao serve pra outro… Como não existem pesquisas sérias nessa seara, eu mesma me faço de cobaia. E graças a Deus tenho tido muita inspiração e venho conseguindo vencer o linfedema.

    Mas acho que tudo é experimentação, desde que com bom senso, claro.

    Mas respeito sua opinião. Afinal, é importante que contemos nossas experiências para que outras pessoas fiquei cientes dos resultados que certos procedimentos podem provocar. Cada organismo é um, não é mesmo?

    Abraço!

  • Aira says:

    Fernanda:

    Yo he tenido muy mala experiencia con el Lymphapress y no puedo por tanto defenderla.Sólo puedo manifestarme en contra.En mi caso,defiendo y defenderé lo que compruebo que me da los mejores resultados: DLM+cuidados de la piel+medidas de compresión (vendaje y media)+ejercicio.
    Me alegro mucho de que a ti te esté dando tan buenos resultados y estoy de acuerdo contigo en que,por el momento,las personas con linfedema primario estáis en desventaja.Yo siempre digo que el linfedema primario es el gran olvidado.Recuerdo haber escuchado a la Dra.Földi decir que existen más de 200 variantes (no recuerdo el nº exacto) que conllevan linfedema,asociado en muchas ocasiones a síndromes o patologías muy diferentes y decía que es importantísimo que Medicina Interna tome interés en este asunto.¿La cirugía? Ya veremos cómo funciona cuando se vayan conociendo más datos en el transcurso del tiempo.Creo que los grandes logros que habrán de llegar vendrán de la mano de la Biología Molecular,desde el campo de la Medicina Regenerativa.
    Por supuesto,yo también respeto tu opinión y pienso que es bueno,actuando con sensatez,probar y compartir experiencias que a todos nos enriquecen. Cada persona es un mundo y no hay recetas universales; si no sería mucho más sencillo,no?

    Grande abraço !

  • Luciene Lopes says:

    Por mais que eu leia, estude e conheça outros casos, fica sempre parecendo a mim que o meu problema é diferente e mais complicado. Tenho 35 anos, nasci com linfedeme venoso MIE, e não consigo um tratamento completo com médico algum.Fiz uma cirurgia de retirada de uma parte da veia principal e que hj as minhas varizes voltaram todas. Estou sempre tendo recaídas e crises de febrites e herisipelas.Nesse momento, por exemplo, estou sentindo dores terríveis. Alguém pode me ajudar?Tenho três filhas pequenas e não gostaria mesmo de fazer outra cirurgia, mesmo meu marido querendo muito… Estou já desesperada…

  • Ilzilene says:

    Poxa!
    Em Belém nunca tem inverno e não poderei ter esta sensação de melhora com o frio.
    Eu vivo procurando ventilador ou arcondicionado, e fujo de sair de casa, pois tenho que colocar a meia e adivinha!!! ESQUEEEENTA!

    Mas vou aprendendo a conviver com esta nova situação.

    Bjs a todas e todos, o mais legal e ser e sentir-se amado independente da parencia.

  • Margarete Podgurski says:

    Olá Fernanda, eu também amo o Inverno, é a melhor época para mim.
    Gostaria de pedir que você me add no fórum pois tenhos inumeras perguntas e por favor que você me passasse o caminho do Orkut, para eu add.

  • Giih Ferreira says:

    Muito bom esse texto. Parabéns!
    Tenho 23 aos e a 7 anos ja venho lidando com esse linfedema linfatico congenito. Começou na perna esquerda, e logo foi as duas. Ja fui em varios medicos,tomei varios remedios, sempre na expectativa q eu iria melhorar, mas infelizmente sempre fica do mesmo jeito. Ainda não aprendi a lidar com a esse poblema, e sempre pensei q eu era uma de poucas pessoas q tem q lidar com essa doença, mas agora vi q não. Só uso calça, pq tenho vergonha e odeioo qdo as pessoas ficam me peguntando ou falando “nossa, coitada, olha a perna dela”. Não aprendi a lidar com isso ainda.
    E realmente no invernos, o edema diminui. Mas o triste é ter q usar a meia no calor.
    Mas creio em um DEUS do impossivel, e sei q qdo chegar a minha hr serei curada.
    Um abraço a todos q infelizmente tem essa doença, pq só quem tem sabe o qto é ruim:(

  • Nath says:

    Olá…
    È verdade!
    Eu tenho linfedema a sete anos, mais só agora tive um resultado conclusivo!
    Tenho 20 anos…e ontem fui a um medico q me fez esse diagnostico!
    Mais eu ja sabia q era essa doença…pois ja havia visto alguma coisa na net!
    Sofro mto no verão tbm…e ainda pior…sou Cabelereira…trabalho o dia tdo em pé….chega no final do dia estou exausta!
    Ainda nao aprendi a lidar com essa doença!
    Não suporto os olhares de piedade qdo as pessoas vem os meus pés…
    Mais enfim, nada eh por acaso neh!
    Eu nao fazia ideia de qtas pessoas tbm tinham esse mesmo problema q o meu!
    Ainda tenho mtas duvidas…mais espero um dia esclarecer tdas elas, e tentar viver da melhor maneira possivel!
    Soh quem passa pelo q nós passamos, sabe como é!
    Força meninas….
    Não estamos sozinhas!

  • Patricia Rezende says:

    Olá!!
    Gostei mto do seu Blog, é sempre importante compartilhar nossas experiências e ajudar as pessoas com informações que possam melhorar a qualidade de vida.
    Quero informar que na cidade de Vitória existe profissional especializada em linfoterapia (tratamento dos edemas e linfedemas), Dra Taciana que fez especialização com Dra Angela Max precursora da linfoterapia no Brasil vez que trouxe a técnica da Alemanha e também é pós graduada em Oncologia. Os melhjores médicos oncologistas e angiologistas de vitória e até de São Paulo e Brasília, indicam a Dra Taciana e ela tem tido excelêntes resultados nos tratamentos de linfedema. A Clinica se chama PHISICAL e fica na Mata da Praia em frente ao supermercado Perin. Vale a pena conferir, minha sogra teve linfedema por 15 anos com o braço todo fibrosado e ficou boa. Boa sorte a todos, Abraços

  • André Andrade says:

    Oi.. baum eh a primeira vez que escrevo aki ..mas jah venho lendo links desse blog ha um tempaum…Q eu quero saber de vc é se teim como eu por de uma vez por toda na cabeça da minha namorada que ela teim esse problema e teim que se cuidar muito e muito ..Minha namorada começou com o inchaço aos 12 anos de idade hj teim 19 anos..ela jah fez varios tratamentos…tomou muito medicamentos…mais jah teim um tempo que ela naum vai ao médico..fico muito chateado com ela …eu trabalho muito ..e ela naum liga muito …fico triste de mais cada vez que vejo o inchaço que eh no MIE… soh de tocar no assunto ELA começa a chorar .. e pergunta “PQ EU tenho isso? ” cada vez que Ela vai na loja compra um sapato nada cabe no pézinho…preciso muito de conselhos para dizer a Ela..pois ainda conheço poko da doença…mais me interesso bastante em conhecer cada dia mais e mais…pra cuidar da minha Princesa que sofre muito com isso…
    moramos em Valparaíso de Goias..GO interior perto de BSB..
    fico muito agradecido se me responder muito muito msm…
    ha gostei muito da historinha que vc cria para falar sofre o linfedema eh uma forma facil de entender …
    obrigado muito de Coração..

    abraço….André Andrade

  • Oi André!

    fico feliz que você se preocupe com a sua namorada. Seu apoio é muito importante para ela. Falo isso por experiência própria, pois, quando eu descobri o que eu tinha, a pessoa que mais me apoiou foi o meu namorado, hoje meu noivo. Graças a ele eu superei essa fase de não aceitação da doença e segui adiante, buscando tratamento e pesquisando sobre o assunto e etc.

    O linfedema é uma doença que exige muito esforço por parte do paciente e compreensão dos familiares a amigos. É uma doença que ainda não tem cura, mas tem controle. É preciso que o paciente tenha persistência e mantenha os cuidados pelo resto de sua vida. O linfedema não dá trégua, exige que a pessoa tenha o comprometimento de mudar o estilo de vida e se adaptar a algumas coisas. Mas isso não ´deve ser entendido como sofrimento, e sim, como a libertação! O linfedema não é a única doença que não tem cura, mas tem controle. Basta ver a diabetes! Tantas pessoas convivem com essa doença tão limitadora, em alguns aspectos até próxima do linfedema (como os cuidados com a pele). E se essas pessoas não se cuidarem, terão a sua sapude prejudicada. Quem tem linfedema deve pensar o mesmo. Encarar a doença é o único jeito de ven cê-la.

    Tente mostrar para ela que negar a doença não levará a logar algum. O primeiro passo é aceitar que ela tem um problema que deve ser resolvido. A ação é importantissima. Mostre pra ela que é possível viver com esse probleminha, basta cuidar dela mesma. Buscar um especialista para que a oriente como proceder em casa. Quando ela começar a melhorar, ela se sentirá mais bonita e animada para continuar se tratando, e um belo dia, ela nem se importará com alguns detalhes.

    Algumas pessoas precisam de apoio psicológico para superar o momento inicial da doença. Se for possível, considere essa possibilidade, de buscar ajuda de um profissional da área.

    Sei que é muito difícil, mas é possível conviver com o linfedema. É possível levar uma vida muito, mas muito próxima de uma vida normal basta manter o tratamento e nunca desistir.

    Estou à disposição para indicar médicos e fisioterapuetas, ou orientá-lo sobre onde encontrar tratamento, se for do seu interesse.

    Desejo tudo de bom pra vocês dois!

    Abraço!

    Fernanda

  • carla zelane de sousa petrucci says:

    olá pessoal com 23 fui mãe de uma menina e durante a gravidez fiquei com os pés bastante inchados e depois que tive nene meu pé direito coninuou a incha achei estranho e procurei varios medicos até chega ao diagnostico linfedema congenito no MID nossa fiquei louca pois sempre tive uma vida muito ecletica , de malhar , usar saltos , shorte curtinho e direpente……………meu deus fiquei louca hoje estou com 32 anos e ainda nao me conforme com isso , e estou acima do meu peso pq tive outro filho aos trinta e engordei demais estou desesperada pq estar dificil perde peso .o que faço?

  • Fernanda Camargo says:

    Olá pessoal,também tenho linfedema desde os 8 anos de idade,hoje já estou com 24. Confesso que ainda não me conformei com está situação,realmente só quem tem está doença sabe o quanto é difícil.
    Hoje decidi procurar pessoas que também tem está doença,para trocarmos experiências.Na minha opinião estás informações tbm são importantes para nos fortalecer.
    Não sei se vocês já sabem,mas só para ajudar,nós que temos está doença não podemos tirar cutícula e nem depilar o local do linfedema,pois não podemos ter nenhum tipo de ferimento.
    Na verdade a minha maior dificuldade é falar sobre a doença,tanto que nunca tive coragem de ter um relacionamento sério por vergonha do meu corpo.
    Gostaria de saber como foi para vocês que são casados ou namora ter que assumir um relacionamento?Como foi a aceitação?

    …Bom gostei muito do blog…Abraços…

  • Salete says:

    Fernanda, também tenho linfedema na perna e gostaria de saber onde você fez essa bota com ilhós. Você pode me dar o telefone? Eu moro em Belo Horizonte, será que aqui tem? Obrigada.

  • Oi, tudo bem?

    Em BH a Dra. Eneida de Melo Couto e sua equipe fazem a bota ou a intermediaçao entre paciente e a clínica do Dr. Godoy.

    Nome: Eneida de Melo Couto
    Endereço: Rua Domingos Vieira, 587, Santa Efigênia
    E-mail:
    Cidade: Belo Horizonte – Estado: MG
    Telefone:(031)33175277
    Especialidade: Angiologista Especialista em Linfedema

    abraço!

  • Cris says:

    Fernanda, moro no rio e gostaria de comprar o lymphapress você pode me ajudar? Ah! Adorei suas dicas! bjss

  • evelin says:

    eu descobri a pouco tempo que tenho linfedema depois de 2 anos correendo atras de medicos pra saber e só fui descobrir agora isso cada vez mais me desanima não consigo ter a mesma força de antes e nao consigo se a mesma pessoa de antes nao sei o que esta aconteçendo comigo estou me afastando das pessoas,ja tive varios problema e esse é mais um que terei q enfrentar :(

  • Marcia says:

    Oi!!Fernanda que intessante esse blog!!!pois pesquisando essa semana sobre se teria alguma novidade sobre o tratamento para linfedema, encontrei esse blog, amei, pois estava acomodada com o meu problema, hoje tenho 42 anos, e na minha terra, Maceió, é super difícil encontrar uma fisioterapeuta para dar a drenagem, como também meia, faixa, olha é muito difícil, por isso que as vezes eu me acomodo!!mas lendo o seu blog vi que não estava sozinha, e voce usa outro tipo de meia, eu uso a venosan, agora a faixa infelizmente não uso, primeiro porque não encontro, e muitos anos atrás, quando tentei usar não consegui colocar sem que me machucasse!!como é que voce consegue? outra informação nova foi o aparelho!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Todas as informações contidas tanto no site quanto no blog e no fórum do vivacomlinfedema.com.br visam ajudar e orientar pessoas com linfedema a conviverem da melhor forma possível com a doença. A autora de todo o conteúdo relacionado ao referido site, blog e fórum não é médica nem fisioterapeuta e objetiva apenas compartilhar suas experiências como portadora de linfedema. O site, o blog e o fórum do vivacomlinfedema.com.br não se responsabilizam por informações indevidamente prestadas por médicos e fisioterapeutas cadastrados na lista de busca do site, ficando a cargos destes a responsabilidade de honrar seus compromissos técnicos e éticos para com a sociedade. Feitas tais considerações, o vivacomlinfedema.com.br alerta: O MÉDICO ESPECIALISTA DEVERÁ SEMPRE SER CONSULTADO.